Congresso homenageia idealizador da campanha Novembro Azul de prevenção ao câncer de próstata

Congresso-N.azulSessão solene no Plenário do Senado Federal homenageia o Instituto Lado a Lado pela Vida, idealizador do Movimento Novembro Azul de prevenção ao câncer de próstata.

O Movimento Novembro Azul foi iniciado na Austrália em 2003, aproveitando a celebração do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemorado em 17 de novembro. No Brasil, é realizado em parceria pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) e o Instituto Lado a Lado pela Vida.

O movimento tem se tornado a cada ano um evento muito importante para alerta a população sobre a importância da prevenção do Câncer de Próstata. Pois, a cada ano são diagnosticados 69 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. Isso significa sete diagnósticos por hora.

Segundo a senadora Ana Amélia (PP-RS) em 2013, 13 mil homens morreram no país por causa da doença. Os números foram apresentados pela senadora na sessão de homenagem ao Instituto Lado a Lado pela Vida, idealizador do Movimento Novembro Azul de prevenção ao câncer de próstata no Congresso Nacional desta segunda-feira (9).

O Novembro Azul é um modelo brasileiro que dialoga com todos os homens em cada canto deste país. O Instituto Lado a Lado pela Vida tem também o objetivo de possibilitar o acesso dos pacientes aos tratamentos.

Segundo afirmou Marlene Oliveira.

Quem está doente tem pressa para se tratar, se curar e voltar à vida normal”.

Na Câmara dos Deputados, a iniciativa Novembro Azul de prevenção ao câncer de próstata no Brasil recebe o apoio da Frente Parlamentar de Atenção Integral à Saúde do Homem e da Comissão de Seguridade Social e Família.

Em forma de apoio ao movimento o prédio do Congresso Nacional está iluminado de azul durante este mês em prol da prevenção do câncer de próstata. O chamado “Novembro Azul” acontece há 12 anos. Ao longo do mês, vários monumentos e locais públicos de grande visibilidade, em todo o País, ganham a iluminação especial da campanha.novembro-azul-2

Além do prédio do Congresso, em Brasília, também estão azuis o Estádio do Pacaembu e o Viaduto do Chá, em São Paulo; o Teatro Amazonas, em Manaus; a Ópera de Arame, em Curitiba; e o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

Dados sobre a doença no Brasil

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) estima que quase 50% dos brasileiros nunca foram ao urologista. Segundo pesquisa realizada pela (SBU) em maio de 2013, 47% dos homens entrevistados nunca fizeram o exame de toque retal, fundamental para detectar o câncer de próstata.

Ainda segundo o (SBU) A doença atinge cerca de 60 mil homens todos os anos no Brasil, sendo a neoplasia maligna mais comum no público masculino. Contudo, quando o câncer de próstata é detectado precocemente, o índice de cura ocorre em aproximadamente 90% dos casos.

CRT- N. azulDesde 2013, a SBU recomenda baseada em trabalhos científicos publicados nos últimos anos, que o exame de toque retal seja feito a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e aos 45 anos para negros e homens com casos na família.

E importante ressaltar que segundo especialistas em sua fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas. Por isso, a consulta anual ao urologista é indispensável para o acompanhamento da glândula.

As causas do câncer de próstata ainda são desconhecidas. Embora apareça em homens com mais de 65 anos de idade, as chances de desenvolver a doença aumentam em até dez vezes se já houve algum caso de câncer de próstata na família, como pai ou irmão. Outros fatores, como o estilo de vida, alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos também podem interferir no surgimento da doença.

Entre os casos de câncer, o de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do de pele. O Instituto Nacional do Câncer estima que, neste ano, cerca de 70 mil novos casos da doença serão registrados. O dado positivo é que a detecção desse tipo de câncer em estágios iniciais aumenta em 90% as chances de cura.

Sobre câncer de próstata

A Senadora Ana Amélia alerta que o câncer de próstata não tem fatores de risco e não apresenta sintomas na fase inicial, e quando os sinais começam a surgir, cerca de 95% dos tumores estão em fase avançada, o que dificulta a cura motivo pelo qual Ana Amélia reforça a importância dos exames preventivos para os homens, e também reforça a importância do engajamento da sociedade na luta contra doenças em geral e não apenas contra o câncer.

Para Senadora, o câncer, a dengue e todas as outras doenças são responsabilidade nossa, e segundo afirma ela tão fundamental quanto o papel dos agentes públicos na oferta de serviços de saúde está a atitude do cidadão de se cuidar mais, pois, sociedade precisa se conscientizar, ter hábitos saudáveis, evitar os fatores de risco.

Segundo Ana Amélia:

Prevenir é sempre um bom e eficaz remédio. Tenho dito que os homens se preocupam mais em levar o carro para a revisão do que com a própria saúde” ressaltou.

Sobre a Prevenção

A presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira, informou que os homens com casos de câncer de próstata na família devem procurar o urologista a partir dos 45 anos. Para os demais, o primeiro exame deve acontecer aos 50 anos e ser repetido anualmente.

A coordenadora nacional de Saúde do Homem, da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Angelita Herrmann, informou que, neste mês de novembro, há 40 mil equipes nas ruas desenvolvendo um trabalho para chamar a atenção dos homens sobre os cuidados com a saúde. Ela enfatizou que, justamente por falta de prevenção, os brasileiros vivem, em média, sete anos a menos do que as brasileiras.

É importante resultar que o câncer de próstata na fase avançada tem como os principais sintomas dor nos ossos, sangue na urina ou no sêmen, dor ao urinar e vontade de urinar com mais freqüência. Portanto, é muito importante se prevenir, pois, alem de morte o câncer pode também causar impotência.

Além do câncer de próstata, Os homens também são as principais vítimas de doenças cardiovasculares, além de mortes causadas pela violência, incluindo os acidentes de carro. Por isso, observou, é necessário que eles pensem na saúde como um todo.

Fontes: CPB, Agencias de Noticias.


CPB INFORMA:

O conteúdo desta notícia é de inteira e exclusiva responsabilidade de seu autor, não refletindo opinião oficial do site/portal www.correiopopulardebrasilia.com.br ou dos demais editores do Jornal.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *