Marcha de mulheres negras na Esplanada dos Ministérios termina com tiros e tumulto

Macha negra Brasilia 1A Marcha de mulheres negras na Esplanada dos Ministérios, em Brasília termina em tiros, tumulto e vários detidos no início da tarde desta quarta-feira (18).

A manifestação que tinha como objetivo “mostrar o respeito pela ancestralidade”, como afirmou Vanda Menezes, uma das organizadoras do evento, contava segundo informações da Polícia com cerca 10 mil de mulheres negras, até o momento da confusão. Esse número segundo os organizadores seria de 20 mil.

O evento ocorria normalmente quando, segundo informou uma manifestante que estava no local, a confusão começou, segundo ela, porque o movimento das mulheres negras não concordou em se unir ao movimento “Fora Dilma” que também estava no local.MARCHA MN

Em meio à confusão dois policiais civis foram presos por disparar tiros para o alto durante marcha. A Polícia Militar informou que um dos dois presos integra o grupo acampado em frente ao Congresso para defender a volta dos militares ao poder.

Ainda de acordo com a PM, um dos policiais, que é do Maranhão, ao ser detido alegou ter se sentido ameaçado pelos integrantes da marcha e que por isso, disparou quatro tiros para o alto. Provocando corre-corre e um princípio de confusão entre o grupo acampado em frente ao Congresso e os participantes da manifestação antirracismo.

A Polícia Civil informou que ele já havia sido detido na semana passada por supostamente ameaçar manifestantes MARCHA MN 1que participavam de atos na Esplanada. Após ter sido detido por efetuar disparo de arma de fogo na quarta (18) foi encaminhado para a 5ª DP, na Asa Norte, em seguida, após pagar fiança de R$ 790 foi liberado novamente.

Segundo a Polícia Civil o outro policial que também teria efetuado disparo com armas de fogo é do DF, no entanto, ele não foi  conduzido a delegacia, mas sim à Corregedoria da corporação, que está apurando a ocorrência. De acordo com a própria Polícia Civil não há relação entre os dois casos, pois, aconteceram em pontos diferentes da Esplanada dos Ministérios.

A Policia Militar que havia destacado  apenas cem homens para acompanhar a manifestação teve que reforça odp efetivo após as confusões. Já o Corpo de Bombeiros enviou quatro veículos para atender eventuais feridos.

Em meio ao tumulto, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) foi atingido com gás de pimenta, caiu no chão e precisou ser socorrido por médicos ainda no local.

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) comentou em uma rede social sobre os tiros. Dizendo:

Três tiros, entre várias outras violências, aconteceram agora no gramado do Congresso. Até quando os fascistas impedirão nossa atuação? O Congresso Nacional está sitiado. Golpistas q se instalaram aqui em definitivo impediram a Marcha de Mulheres Negras de se aproximar daqui. Um Congresso pode ser livre se está cercado por esse grupo armado? A própria policia legislativa está em risco, imagine o povo que luta”. Afirmou.

Enquanto o tumulto acontecia do lado de fora com os manifestantes, dentro do congresso as discussões só aumentavam na votação dos vetos da Presidente Dilma aos projetos da chamada pauta bomba.Macha negra Brasilia

Macha negra Br

CPB INFORMA:

O conteúdo desta noticia é de inteira responsabilidade exclusiva de seu autor, não refletindo opinião oficial do site/portal www.correiopopulardebrasilia.com.br ou dos demais editores do Jornal.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *